Comunidade Electronica de Salselas

Para Todos os Salselenses pelo Mundo | mail: cer.salselas@gmail.com

terça-feira, Novembro 04, 2008

Aguardente ou Bagaço

Estamos na altura do fim da vindima, já o vinho repousa na pipa, e o bagaço vai para o Pote para ser transformado em Aguardente.

Também em Salselas a Tradição se mantém ao longo dos anos.

Após a feitura do vinho, ainda há mais para aproveitar daquilo que restou das uvas. Por isso, depois de retirado o vinho para os Pipos, o bagaço é levado para o alambique para fazer a aguardente.

Há alguns anos atrás, este líquido servia muitas vezes de mata bicho dos homens e era utilizada com fins terapêuticos:
servia de desinfectante substituindo o álcool, de digestivo após as refeições, para aliviar a dor de dentes e no tratamento de constipações, quando aliada ao limão e ao mel no chamado champorrião.


Durante este processo tem que haver alguma atenção por parte das pessoas que estão a fazer a aguardente.
A água do tanque por onde passa a serpentina tem que ser renovada frequentemente, pois vai aquecendo provocando a paragem na condensação;
a chama da fogueira também tem que ser controlada pois se for muito forte a aguardente sai com um gosto desagradável a queimado;
o teor alcoólico também tem que ser vigiado pois a certa altura o líquido que sai já tem fraco sabor.



O alambique ou "os Potes" é um conjunto formado por duas peças de Cobre, uma espécie de Forno, e a parte móvel formada por uma caldeira e uma serpentina feitas em cobre.

A caldeira com o bagaço coloca-se por cima da lenha a arder. Com o aquecimento, começam a libertar-se vapores que se espalham pela a serpentina. Esta está submersa no tanque cheio de água fria. Em contacto com ela, dá-se a condensação do vapor que passa para o estado líquido e vai sair por um tubo, caindo para dentro duma garrafa ou garrafão. É a aguardente vinícola, um produto alcoólico que resulta da destilação do bagaço de uva fermentado.



Aqui mando fotos da tradição que ainda preservamos que é o acto de produzir aguardente feita por especialistas.

A tripla de especialistas Salselenses, no "Mata Bicho", José Henrique Pinto, Valdemar e Cândido no seu melhor.

Fotos cedidas pelo Conterrâneo Angelo Ribeiro, bem hajas pelo momento.



6 comentários:

  1. Olá sou filho do Luciano e da Florinda muito me agrada em ver estas pessoas que são tão carismáticas e típicas da minha aldeia. O senhor Cândido, o senhor Valdemar e o senhor Henrique, são pessoas inesquecíveis.
    Quero aqui deixar um grande abraço ao povo de Salselas, sobretudo aos meus familiares.
    Victor Prada

    ResponderEliminar
  2. Obrigado Victor, um grande abraço também para ti e para os teus, e obrigado pela tua visita.

    ResponderEliminar
  3. Boa tarde.Li toda a descrição da produção da aguardente,mas disseram-me que quando faço bagaço num pote novo,a 1ªaguardente não se pode beber,porque provoca cegueira.É verdade?
    Alguém me sabe responder a esta questão?
    Obrigada
    Gloria

    ResponderEliminar
  4. Olá Gloria,
    é mais um dos muitos mitos que por corre no circulo etnográfico do País. não pelo não aproveitamento do primeiro pote, mas pela cegueira.
    Na verdade a aguardente é o resultado da destilação dos elementos resultantes da transformação da uva(bagaço) após a fermentação, As aguardentes são portanto misturas hidroalcoólicas com uma porcentagem de álcool em volume ao redor de 50% com aroma e sabor característicos que dependem das impurezas voláteis que acompanham o destilado e que fazem parte da fração líquida dos vinhos, juntamente com a água e o etanol.
    Quando se executa uma destilação descontínua, realiza-se uma destilação simples, vaporizando-se primeiro as substâncias mais voláteis do que a água e o álcool.
    O primeiro destilado é uma mistura de água, álcool, bases voláteis, aldeídos ácidos e chama-se , na prática, destilado de cabeça. estas substancias são as que se apresentam em maior concentração na primeira "potada", ou seja a quantidade de resíduos impuros, altamente prejudicial à saúde, não provoca cegueira de certeza mas não será o melhor remédio para os olhos.
    Depois de sua separação, os vapores dos vinhos são mais ricos em etanol, com menor quantidade de impurezas voláteis, e chamam-se destilados de coração.
    O destilado que se recolhe como produto final da destilação constitui-se de uma mistura de produtos de cabeça, de coração e de cauda, ou apenas de coração, separando-se produtos de cabeça e de cauda em proporções de 10 − 20% do total, conforma o destino que terá.

    Muita gente, efectua no final da destilação a mistura das aguardentes, ou seja, faz um BLEND, com a mistura das varias potadas, em percentagens de mistura ou mesmo mistura tudo, de maneira a equilibrar a aguardente final. são técnicas que só um bom alambiqueiro domina, e que são segredos da muita experiência.

    ResponderEliminar
  5. continuação da anterior

    quando se trata de um pote novo, a primeira vez que este é utilizado deve ser tomada em conta que o alambique é em cobre, que em contacto com a mistura do bagaço resulta em produtos gasosos ricos em hidróxido de cobre (o chamado verdete) pela oxidação da superfície interior do alambique,no contacto com a agua sob a acção da temperatura, esta mistura é uma base alcalina que é altamente prejudicial sobretudo a pele e aos olhos.
    http://pt.wikipedia.org/wiki/Hidr%C3%B3xido_de_cobre_(II)
    esta é a razão cientifica que mais fundamenta a questão da cegueira. pois estes vapores ou mesmo a aguardente resultante é tóxica.

    deixo-te este link onde podes explorar as técnicas de extracção da aguardente.
    http://www.copper-alembic.com/distilleds.php?lang=pt&content=distilleds_pt_experience.php

    ResponderEliminar
  6. Ver estas imagens faz-me regressar á minha infância quando, ainda menina, me entretinha a ver o senhor Zé Barradas, muito sabiamente,fazer sair dos potes o precioso líquido. QUE SAUDADES...

    ResponderEliminar