Comunidade Electronica de Salselas

Para Todos os Salselenses pelo Mundo | mail: cer.salselas@gmail.com

terça-feira, abril 20, 2010

Resultados das Eleições de 18 de Abril

Noticias dos Jornais acerca dos resultados das eleições de 18 de Abril

---------
PS com três maiorias absolutas no domingo
14h29m


Quatro das seis freguesias que realizaram ontem, domingo, eleições intercalares alcançaram maiorias absolutas - três para o PS e uma para o PSD.

Nas freguesias de Barrosa (concelho de Benavente, Santarém), de Mértola (Mértola, Beja) e de S. Pedro (Angra Do Heroísmo, Açores) venceram os socialistas com maioria absoluta, enquanto que em Salselas (Macedo de Cavaleiros, Bragança) a maioria absoluta foi para o PSD.

As eleições intercalares realizaram-se em seis freguesias porque nas autárquicas de 11 de Outubro nenhum candidato conseguiu maioria absoluta e, sem maioria, os vencedores não conseguiram chegar a acordo com os outros partidos sobre a composição dos executivos da Junta.

Em duas destas autarquias, os vencedores de domingo continuam a ter de negociar os elementos da junta com outros partidos: em Quiaios, na Figueira da Foz (Coimbra), venceu o PSD, mas sem maioria absoluta, uma situação idêntica à dos socialistas em Mosteirô, Santa Maria da Feira (Aveiro).

Em Barrosa, o PS, que já tinha vencido as eleições de Outubro sem maioria absoluta, reforçou os resultados e conquistou 64,1 por cento dos votos, elegendo cinco mandatos.

A derrotada foi a CDU, que geriu a freguesia ao longo de duas décadas, mas apenas obteve 26,3 por cento dos votos, tendo eleito dois mandatos.

Na freguesia de Salselas, apenas 300 eleitores foram às urnas para dar 63 por cento dos votos ao PSD, que também já tinha vencido nas últimas autárquicas, embora sem maioria.

Em S. Pedro (Angra), votaram 1028 dos 3447 inscritos, que deram a vitória ao PS com 575 votos (59,1 por cento), elegeram a coligação PSD/PP como segunda força, com 412 votos, e deram à CDU 26 votos.

Os socialistas venceram também com maioria absoluta as eleições intercalares para a Assembleia de Freguesia de Mértola (com 967 votos), conseguindo cinco mandatos, seguindo-se a CDU (750 votos), com quatro mandatos, e o Movimento Independente por Mértola (com 149 votos) e que perdeu para os socialistas o único mandato que tinha conseguido em outubro.

O PSD venceu as intercalares de Quiaios, mas apenas conseguiu quatro mandatos, contra os três conseguidos pela lista independente onde se integrava o presidente da junta que se demitiu do cargo e os dois mandatos do PS.

Aquém dos resultados de Outubro ficou o PS em Mosteirô, apesar de ser o partido mais votado, com 453 votos (em Outubro tinha conseguido 497 votos). O PSD conseguiu 411 votos, o BE 120, o CDS 117 e a CDU 18.

in JN
----

Três maiorias absolutas para o PS e uma para o PSD nas intercalares de domingo para as freguesias
19 04 2010 14.09H

Quatro das seis freguesias que realizaram domingo eleições intercalares alcançaram maiorias absolutas, três para o PS e uma para o PSD, enquanto que em duas delas venceram partidos sem maioria, segundo dados recolhidos pela Lusa.

Nas freguesias de Barrosa (concelho de Benavente, Santarém), de Mértola (Mértola, Beja) e de S. Pedro (Angra Do Heroísmo, Açores) venceram os socialistas com maioria absoluta, enquanto que em Salselas (Macedo de Cavaleiros, Bragança) a maioria absoluta foi para o PSD.

As eleições intercalares realizaram-se em seis freguesias porque nas autárquicas de 11 de outubro passado nenhum candidato conseguiu maioria absoluta e, sem maioria, os vencedores não conseguiram chegar a acordo com os outros partidos sobre a composição dos executivos da Junta.

Em duas destas autarquias, os vencedores de domingo continuam a ter de negociar os elementos da junta com outros partidos: em Quiaios, na Figueira da Foz (Coimbra), venceu o PSD, mas sem maioria absoluta, uma situação idêntica à dos socialistas em Mosteirô, Santa Maria da Feira (Aveiro).

Em Barrosa, o PS, que já tinha vencido as eleições de outubro sem maioria absoluta, reforçou os resultados e conquistou 64,1 por cento dos votos, elegendo cinco mandatos.

A derrotada foi a CDU, que geriu a freguesia ao longo de duas décadas, mas apenas obteve 26,3 por cento dos votos, tendo eleito dois mandatos.

Na freguesia de Salselas, apenas 300 eleitores foram às urnas para dar 63 por cento dos votos ao PSD, que também já tinha vencido nas últimas autárquicas, embora sem maioria.

Em S. Pedro (Angra), votaram 1028 dos 3447 inscritos, que deram a vitória ao PS com 575 votos (59,1 por cento), elegeram a coligação PSD/PP como segunda força, com 412 votos, e deram à CDU 26 votos.

Os socialistas venceram também com maioria absoluta as eleições intercalares para a Assembleia de Freguesia de Mértola (com 967 votos), conseguindo cinco mandatos, seguindo-se a CDU (750 votos), com quatro mandatos, e o Movimento Independente por Mértola (com 149 votos) e que perdeu para os socialistas o único mandato que tinha conseguido em outubro.

O PSD venceu as intercalares de Quiaios, mas apenas conseguiu quatro mandatos, contra os três conseguidos pela lista independente onde se integrava o presidente da junta que se demitiu do cargo e os dois mandatos do PS.

Aquém dos resultados de outubro ficou o PS em Mosteirô, apesar de ser o partido mais votado, com 453 votos (em outubro tinha conseguido 497 votos).

O PSD conseguiu 411 votos, o BE 120, o CDS 117 e a CDU 18.

in DESTAK
-----
Eleições: Dúvidas desfeitas em poder local desavindo
Freguesias a votos seis meses depois


Os eleitores das freguesias de Mosteirô (Santa Maria da Feira), Mértola (Beja), Quiaios (Figueira da Foz), Barrosa (Benavente), Salselas (Macedo de Cavaleiros) e São Pedro (na ilha açoriana de Angra do Heroísmo) foram ontem chamados às urnas, apenas seis meses após as autárquicas, para elegerem as respectivas juntas, uma vez que, devido a resultados muito próximos entre as listas, não houve entendimento para a formação dos executivos.


Foi o que aconteceu, por exemplo, em Mosteirô, Santa Maria da Feira. Em Novembro, o PS ganhou as eleições, mas sem maioria absoluta. A falta de consenso em criar uma equipa de trabalho fez com que Fernando Custódio, o candidato mais votado, nunca conseguisse constituir uma equipa de trabalho.

Nas eleições de ontem, Custódio voltou a ganhar, com 453 votos, contra 411 do candidato do PSD, Manuel Resende, que foi vinte anos presidente da junta.

Só que desta vez, o Bloco de Esquerda, com 120 votos, conseguiu eleger um elemento, o que vai permitir ao PS a realização de um acordo e formar a maioria. "Agora vamos trabalhar a sério", disse o novo autarca Fernando Custódio.

Em Mértola ganhou o PS, com 967 votos, contra 750 da CDU. A vencedora, Maria Fernanda Romba, disse ao CM: "Foi a razão que venceu. Tivemos de ganhar duas vezes".

No caso da freguesia de Mértola, os eleitos socialistas chegaram a renunciar aos mandatos.

Por resolver está ainda o caso de Merufe, no concelho de Monção. O presidente eleito, Fábio Alves, que ganhou por 15 votos, não consegue formar a junta e, como nenhuma das listas renuncia, não podem ser marcadas novas eleições.

in Correio da Manhã

-----

PS com maioria absoluta em três das seis freguesias que foram a votos

Quatro das seis freguesias que realizaram domingo eleições intercalares alcançaram maiorias absolutas, três para o PS e uma para o PSD, enquanto que em duas delas venceram partidos sem maioria, segundo dados recolhidos pela Lusa.

Nas freguesias de Barrosa (concelho de Benavente, Santarém), de Mértola (Mértola, Beja) e de S. Pedro (Angra Do Heroísmo, Açores) venceram os socialistas com maioria absoluta, enquanto que em Salselas (Macedo de Cavaleiros, Bragança) a maioria absoluta foi para o PSD.

As eleições intercalares realizaram-se em seis freguesias porque nas autárquicas de 11 de outubro passado nenhum candidato conseguiu maioria absoluta e, sem maioria, os vencedores não conseguiram chegar a acordo com os outros partidos sobre a composição dos executivos da Junta.

Em duas destas autarquias, os vencedores de domingo continuam a ter de negociar os elementos da junta com outros partidos: em Quiaios, na Figueira da Foz (Coimbra), venceu o PSD, mas sem maioria absoluta, uma situação idêntica à dos socialistas em Mosteirô, Santa Maria da Feira (Aveiro).

Percentagens por freguesia
Em Barrosa, o PS, que já tinha vencido as eleições de outubro sem maioria absoluta, reforçou os resultados e conquistou 64,1% dos votos, elegendo cinco mandatos.

A derrotada foi a CDU, que geriu a freguesia ao longo de duas décadas, mas apenas obteve 26,3% dos votos, tendo eleito dois mandatos.

Na freguesia de Salselas, apenas 300 eleitores foram às urnas para dar 63% dos votos ao PSD, que também já tinha vencido nas últimas autárquicas, embora sem maioria.

Em S. Pedro (Angra), votaram 1.028 dos 3.447 inscritos, que deram a vitória ao PS com 575 votos (59,1%), elegeram a coligação PSD/PP como segunda força, com 412 votos, e deram à CDU 26 votos.

Os socialistas venceram também com maioria absoluta as eleições intercalares para a Assembleia de Freguesia de Mértola (com 967 votos), conseguindo cinco mandatos, seguindo-se a CDU (750 votos), com quatro mandatos, e o Movimento Independente por Mértola (com 149 votos) e que perdeu para os socialistas o único mandato que tinha conseguido em outubro.

O PSD venceu as intercalares de Quiaios, mas apenas conseguiu quatro mandatos, contra os três conseguidos pela lista independente onde se integrava o presidente da junta que se demitiu do cargo e os dois mandatos do PS.

Aquém dos resultados de outubro ficou o PS em Mosteirô, apesar de ser o partido mais votado, com 453 votos (em outubro tinha conseguido 497 votos). O PSD conseguiu 411 votos, o BE 120, o CDS 117 e a CDU 18.

(Este texto foi escrito ao abrigo do novo Acordo ortográfico)

Com Lusa/SIC


sexta-feira, abril 16, 2010

Salselas vai a votos para eleger presidente de junta

Extratos das Noticias nos Media Naconais acerca das Eleições em Salselas a ocorre no dia 18 de Abril.

----
A freguesia de Salselas, em Macedo de Cavaleiros, vai a votos este domingo.

A coligação PSD/CDS-PP, PS e Bloco de Esquerda voltam às urnas para eleger os representantes da junta.

Nas eleições de Outubro a coligação saiu vencedora, mas sem maioria e as três forças políticas nunca chegaram a consenso.

Marco Ferreira, pela coligação PSD-CDS/PP; Luís Escaleira, pelo PS e Joaquim Gonçalves, pelo Bloco de Esquerda são de novo candidatos à mesma freguesia.

Salselas deu mais votos a Marco Ferreira nas eleições de Outubro, mas não os suficientes para que tivesse mais representatividade que a oposição.

Para domingo, o candidato da coligação acredita numa vitória expressiva, não temendo um novo impasse.

“Eu penso que vai haver mudanças porque as pessoas não gostaram muito da atitude dos adversários e não querem dar-lhes tantos votos para não voltar a acontecer o mesmo” refere.

Já Luís Escaleira, do Partido Socialista, garante que se volta a candidatar pelo povo da freguesia de Salselas e explica os motivos que o levaram a bater o pé em Outubro passado.

“Nós não estamos a concorrer pelo partido mas pelas pessoas e pela freguesia” afirma, considerando que “domingo pode voltar a acontecer o mesmo, mas espero que não”.

O terceiro candidato é do Bloco de Esquerda.

A primeira candidatura a uma freguesia no concelho de Macedo de Cavaleiros. Joaquim Gonçalves diz que apenas a população saiu a perder com eleições intercalares e explica o que o leva a pensar assim. “No meio disto tudo quem ficou prejudicado não foram os candidatos, foi a população, porque há seis meses que não propostas, ideias ou projectos” salienta.

Três candidatos a um só lugar de presidente.

Meio ano depois, a população de Salselas, Limãos e Valdrez volta a tentar decidir, de vez, quem vai comandar os destinos da freguesia.

Escrito por CIR in Brigantia

--

Salselas, Valdrês e Limãos
Macedo de Cavaleiros

Esperadas novas eleições e novo cenário


A freguesia de Salselas, em Macedo de Cavaleiros, é uma das que também vai a eleições no domingo. Em Outubro, a coligação PSD-CDS/PP ganhou por 15 votos e elegeu três mandatos, tal como o PS, ficando o BE com apenas um.

A freguesia, composta por três aldeias (Salselas, Valdrês e Limãos), tem 561 eleitores e, segundo o candidato do PSD-CDS/PP, é habitual a Junta integrar um elemento de cada aldeia: \"Sempre foi assim, é uma tradição que tem mais de 20 anos e queremos que assim continue\", explicou Marco Ferreira. O social-democrata acusa o PS de \"tudo ter feito para inviabilizar a Junta e impedir o PSD de governar, mas só queremos trabalha em prol da freguesia\", acrescentou. A coligação eleita acabou por se demitir em bloco, para provocar novas eleições.

O socialista Luís Escaleira esgrime razões para a impossibilidade de consenso para viabilizar a constituição da Junta: \"Estávamos dispostos a viabilizá-la, mas tinha de integrar um elemento do nosso partido, porque também elegemos três elementos tal como o PSD-CDS/PP\", frisou.

No domingo, repetem-se as eleições, mas os candidatos esperam que não se repita o cenário. O acto eleitoral é disputado pelas listas mais jovens de sempre, todos têm idade inferior a 40 anos. Durante 16 anos, a Junta de Salselas foi liderada pelo PS: \"Mesmo quando ganharam sem maioria, conseguiram integrar elementos de outros partidos\", afirmou o bloquista Joaquim Gonçalves, que lamenta que a Junta se tenha demitido \"porque prejudicou a população, o plano de orçamento do município para 2010 foi elaborado e a freguesia não foi contemplada\", acrescentou.


Glória Lopes in JN, 2010-04-16
-----
Autárquicas prolongadas
Seis freguesias voltam às urnas domingo por desacordo entre os eleitos
por Agência Lusa, Publicado em 15 de Abril de 2010

Seis freguesias terminam sexta feira uma semana de campanha eleitoral para eleições intercalares porque, após os resultados das autárquicas de outubro passado, os partidos eleitos não se entenderam sobre quem é que afinal mandava na junta.

Mértola (Beja), Quiaios (Figueira da Foz, Coimbra), Barrosa (Benavente, Santarém), Salselas (Macedo de Cavaleiros, Bragança), Mosteirô (Feira, Aveiro) e São Pedro (Angra do Heroísmo, Açores) são as freguesias que voltam às urnas domingo para encontrarem um novo executivo, seis meses após as eleições de 11 de outubro, como prevê a lei.

A lei prevê que o presidente da Junta seja automaticamente o que encabeça a lista mais votada, que tem como incumbência propor os dois vogais, o que, em situações de maioria relativa, significa que o vencedor tem de negociar com os vencidos, em sede da Assembleia Municipal, os nomes dos dois vogais na Junta.

Em Barrosa, a maior parte dos 623 eleitores escolheu o PS, mas sem lhe dar maioria na Assembleia de Freguesia. Desta forma, a presidente da lista vencedora, Fátima Machacaz (PS), teve de negociar com PSD e CDU, mas não foi possível chegar a acordo.

"Ao ser obrigado a aceitar as propostas da assembleia o presidente é prejudicado, porque é obrigado a aceitar trabalhar sem alguém da sua confiança", considerou esta técnica oficial de contas.

Para a presidente da comissão administrativa que gere a junta até às eleições, o problema levantado pelo novo método de escolha dos elementos da junta de freguesia soluciona-se com uma maioria absoluta. "Só assim, provavelmente, poderemos ultrapassar a situação. Se não, logo se verá o que vamos fazer", disse.

A mesma história de falta de acordo entre os candidatos vencidos e vencedores repete-se nos outros locais. Em S. Pedro de Angra, o candidato vencedor (PS) não aceitou uma junta tripartida com o PSD e o CDS, em Salselas, o eleito da coligação PSD-CDS/PP, sem maioria absoluta, não conseguiu formar executivo após 18 propostas e em Mértola o PS, com mais votos, mas com o mesmo número de mandatos que a CDU, renunciou em bloco por considerar que a junta era ingovernável.

Também em Mosteirô os elementos do partido socialista abandonaram em bloco depois de varias tentativas frustradas para criar uma solução de governabilidade e em Quiaios há cinco candidatos nestas eleições intercalares, mas o vencedor de outubro, José Augusto Marques, que foi candidato pelo movimento independente Quiaios Sempre, não se recandidata ao cargo.

Estas demissões deixam de novo ao povo a incumbência de decidir quem é que quer ver na junta. "Os eleitores da freguesia já dizem que estão cansados de eleições", disse Manuel Ferreira, que preside à comissão que administra S. Pedro.


in Jornal i Online
----
Autárquicas: Eleitos em Salselas "não se entendem" e freguesia vai novamente a votos para resolver imbróglio


Salselas, Bragança, 15 abr (Lusa) - A freguesia de Salselas, no concelho transmontano de Macedo de Cavaleiros, vai novamente a votos este domingo porque os eleitos, que até chegaram a pensar numa lista conjunta para as Autárquicas, desentenderam-se com os resultados das eleições.
A contagem dos votos dos 561 eleitores ditou, em outubro, uma vitória minoritária para a coligação PSD/CDS-PP numas eleições que tiveram como protagonistas três jovens que prometem "sangue novo" no modelo autárquico da freguesia, mas esbarraram em velhas contendas políticas.

Marco Ferreira, 31 anos, Filipe Escaleira, 31, e Joaquim Gonçalves, 38, ainda conversaram sobre a formação de uma lista conjunta, mas o projeto não foi avante e o primeiro concorreu pela coligação PSD/CDS-PP, o segundo pelo PS e o terceiro pelo Bloco de Esquerda (BE).


in EXpresso/Lusa 10:00 Quinta-feira, 15 de Abril de 2010

----